As 10 maiores descobertas arqueológicas de 2015


Em 2015 pesquisas arqueológicas revelaram grandes descobertas. Veja a lista preparada pela Heritagedaily.com com as 10 descobertas mais surpreendentes do ano.


1 – O fantástico “super-henge” no entorno de Stonehenge na Inglaterra

Usando tecnologias de ponta como prospecções geofísicas e sensoriamento remoto, foi que o projeto Stonehenge Hidden Landscapes conseguiu detectar os restos de um imenso monumento pré-histórico construído no período neolítico, há cerca de 4.500 anos.


Trata-se de uma fileira de pedras com de 90 rochas em pé, algumas com mais de 4,5 metros de altura, enterradas em Durrington Walls, um “super-henge” (estrutura circular de pedras) com 500 metros de diâmetro.


Descubra mais em: http://www.heritagedaily.com/2015/07/the-stonehenge-hidden-landscapes-project-reveals-traces-of-standing-stones-beneath-durrington-walls-super-henge/108902



2 - Uma sauna escocesa da idade do bronze

Arqueólogos descobriram na cidade escocesa de Orkney os restos de pelo menos 30 edifícios que datam de cerca de 4000 aC à 1000 aC, juntamente com sistemas de campo, sambaquis e cemitérios.


A descoberta inclui um edifício da Idade do Bronze muito raro que os especialistas acreditavam poderia ter sido uma sauna, construída para fins rituais.


Descubra mais em: http://www.heritagedaily.com/2015/09/archaeologists-uncover-bronze-age-sauna-house-in-orkney/108454



3 – O túmulo de uma rainha desconhecida encontrado no Egito

Arqueólogos no Egito descobriram o túmulo de uma rainha até então desconhecida das autoridades egípcias. A rainha Khentakawess III.


O túmulo foi encontrado em Abu-Sir, a sudoeste do Cairo, e acredita-se que pertença à esposa ou a mãe do faraó Neferefré que governou o Egito há 4.500 anos durante a V dinastia egípcia.


Descubra mais em: http://www.bbc.com/news/world-africa-30674339

4 – O impressionante túmulo de um príncipe Celta encontrado na França

Arqueólogos desenterraram no noroeste da França, próximo a aldeia de Lavau, o túmulo de um príncipe Celta da Idade do Ferro que foi enterrado com o sua carruagem no centro de um enorme monte datado do século 5 aC.


Descubra mais em: http://news.discovery.com/history/archaeology/impressive-tomb-of-celtic-prince-found-in-france-150305.htm

5 – Arqueólogos encontram a fortaleza bíblica de Acra em Jerusalém

Arqueólogos acreditam ter encontrado as ruínas de uma fortaleza grega que pertenceu a cidadela de Acra, construída há mais de 2 mil anos. Foi um centro de poder e usada para conter a rebelião judaica registrada no livro bíblico dos Macabeus. Foi erigida pelo rei do império selêucida helênico Antíoco Epifânio.


Descubra mais em: http://www.heritagedaily.com/2015/11/researchers-believe-that-they-have-exposed-evidence-of-the-acra-citadel-on-the-city-of-david-hill/108910

6 - Arqueólogos descobrem as ruínas da cidade do gigante Golias

Arqueólogos da Universidade Bar-llan descobriram as ruínas da antiga cidade filisteia de Gate, localizada entre Jerusalém e Ashkelon. Além de um grande portão, foram descobertas uma grande fortificação, além de várias construções que mantinha a cidade, incluindo um templo e um local usado na produção de ferro.


Segundo a bíblia, Gate era a cidade do gigante Golias, o guerreiro filisteu que foi morto pelo jovem soldado israelense Davi com uma pedrada. Permaneceu habitada até o ano de 830 a.C, quando foi destruída por Hazael, o rei de Damasco.


Descubra mais em: http://www.heritagedaily.com/2015/08/archaeologists-uncover-entrance-gate-and-fortification-of-biblical-city/107889

7 - 24 novos Geoglifos localizados em Nasca no Peru

Foram descobertos 24 novos geoglifos na região sul da costa peruana em Nasca.


Praticamente invisíveis na superfície, os arqueólogos empregaram técnicas de analise tridimensional por meio de um scanner para realçar as imagens no terreno. A maioria retrata animais nativos dos andes, tais como camelídeos e lhamas.


Descubra mais em: http://www.heritagedaily.com/2015/07/yamagata-university-finds-24-new-geoglyphs-on-nasca-plateau/107664


8 – As mais antigas ferramentas de pedra do mundo

Arqueólogos encontraram na porção noroeste do deserto do Quênia, ferramentas líticas que datam de 3,3 milhões de anos, ou seja, foram confeccionadas muito antes do advento dos humanos modernos, se constituindo dos artefatos mais antigos já descobertos.


Tal achado sugere que os nossos ancentrais diretos não foram os primeiros a bater duas pedras para produzir uma nova tecnologia.


Descubra mais em: http://www.heritagedaily.com/2015/05/scientists-discover-worlds-oldest-stone-tools/107357

9 - Mumificação era comum na Idade do Bronze na Grã-Bretanha

Estudo de arqueólogos das Universidades Sheffield, Manchester e Londres sugere que a mumificação foi uma pratica funerária generalizada durante a Idade do Bronze na Grã-Bretanha.


Foram encontradas semelhanças entre os restos mortais de alguns antigos bretões com uma múmia pré-histórica do norte do Iêmen e um corpo parcialmente mumificado recuperado de um pântano do condado Irlandês de Roscommon.


Descubra mais em: http://www.heritagedaily.com/2015/10/mummification-was-commonplace-in-bronze-age-britain/108503

10 – Arqueólogos desenterram caça Spitfire da Batalha da Inglaterra

Um projeto premiado que usa arqueologia para ajudar a recuperação de soldados feridos na guerra descobriu um caça Spitfire que caiu na região inglesa de Salisbury Plain.


O avião que pertenceu ao esquadrão de combate 609 foi derrubado por fogo inimigo durante a Batalha da Grã-Bretanha em 27 de outubro de 1940.


Descubra mais em: http://www.heritagedaily.com/2015/09/battle-of-britain-spitfire-unearthed-on-salisbury-plain/108351



Imagens: Divulgação de Heritage Daily.

Fonte: http://www.heritagedaily.com/2015/12/top-10-archaeological-discoveries-of-2015/108888


Nossa opinião


Para nós da Alhambra Projetos, uma das descobertas mais fantásticas de 2015 e que não poderia estar de fora dessa lista da Heritage Daily são os recentes achados do arqueólogo americano Tom Dillehay da Universidade de Vanderbilt, que por meio de novas escavações realizadas no famoso sítio arqueológico Chileno de Monte Verde, evidenciou 39 artefatos líticos, dentre os quais nove com idade entre 18.500 e 17.000 anos. Sepultando de vez a visão tradicional de que o as primeiras migrações para a América do Sul se deram pelo norte e não antes de 14.000 anos atrás.

Descubra mais em: http://journals.plos.org/plosone/article?id=10.1371/journal.pone. 0141923


Para você, qual importante descoberta arqueológica de 2015 deveria figurar nessa lista?

Posts Em Destaque
Posts Recentes